quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Desperdício de oportunidades relega Benfica para a Liga Europa

in abola.pt

O Benfica empatou esta quarta-feira a zero no campo do Barcelona, resultado que relega o Benfica para a Liga Europa na sequência da vitória do Celtic de Glaslow frente ao Spartak Moscovo por 2-1.


Os encarnados apresentaram-se em Camp Nou desfalcados de jogadores importantes como Pablo Aimar, Carlos Martins, Enzo Perez e Salvio contra uma Barcelona em versão light, que mesmo assim mantém o mesmo esquema de jogo, o famoso tiki-taka.

Jorge Jesus, que beneficiou da recuperação de Melgarejo a tempo, colocou André Gomes no auxílio a Matic e Nolito para o lugar de Salvio, talvez por conhecer os cantos à sua antiga casa.

E cedo o Benfica assumiu a obrigação de ganhar, instalando-se no meio-campo do Barcelona, criando boas oportunidades de golo e pressionando bem alto o adversário.

A primeira grande oportunidade surgiu aos 11 minutos, com Rodrigo a desperdiçar de forma clamorosa uma chance de ouro com uma situação de três para um, rematando ao lado, com Nolito completamente solto para encostar.

Aos vinte minutos foi a vez de Lima cabecear com perigo mas ao lado da baliza de Pinto. O avançado brasileiro voltou a estar muito perto de marcar aos 32'', mas Pinto levou a melhor desviando o remate de Lima para o poste da sua baliza, que caprichosamente não entra. Dois minutos depois, foi a vez de Ola John tentar a sua sorte, com Pinto a levar a melhor mais uma vez.

De referir que o Barcelona foi criando também boas oportunidades, mas quase sempre anulados por fora de jogo dos avançados catalões. 

O resultado manteve-se nulo até ao intervalo. 

No segundo tempo a falta de frescura física do Benfica foi evidente, dado o esforço empregado na primeira parte com a pressão a todo o campo. Ainda assim, os "encarnados" voltaram a criar boas chaces de golo nos remates de Nolito aos 46'' e de Maxi Pereira aos 51''.

O Benfica estava a perder claramente o meio campo, situação confirmada pelo crescente número de faltas e de cartões amarelos (Luisão, Matic, Garay). E com a entrada de Messi JJ tinha de mexer na equipa e esteve bem na primeira alteração, tirando Nolito, muito apagado, e fazendo entrar Bruno César.

Já pouco depois, na minha opinião, falhou ao retirar os dois avançados Lima e Rodrigo para a entrada de André Lima e Cardozo. Entendo que Cardozo necessita de mais apoio, dada a sua falta de mobilidade, sobretudo quando Ola John demonstrava uma evidente quebra física. Ainda assim protagonizou mais algumas jogadas de perigo.

Entretanto, Messi saiu lesionado após choque contra Artur que venceu o duelo contra o Deus argentino evitando por duas vezes o golo do Barcelona. E como o Barcelona já tinha esgotado as três substituições, o Benfica jogou em superioridade numérica durante cerca de sete minutos.

O Benfica carregou sobre o Barcelona e nos segundos finais com Maxi Pereira rematou por cima da baliza de Pinto, desperdiçando o último lance do jogo.

Com este resultado, ainda que positivo dada a diferença de valor entre as equipas e o facto de o Barcelona não perder em Camp Nou para a Liga dos Campeões há três anos, o Benfica viu-se afastado dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, uma vez que o Celtic Glaslow conseguiu vencer o Spartak de Moscovo por 2-1. O golo do Celtic foi apontado através de uma grande penalidade, com a bola a embater na barra, no chão, de novo na barra e a entrar finalmente. Consta que foi uma grande penalidade inexistente... Mas a este tipo de sorte os clubes portugueses já estão habituados.

Menos mal, o terceiro lugar do Benfica no Grupo G dá entrada na Liga Europa, competição onde o Benfica tem boas chances de ir longe.

Enviar um comentário