segunda-feira, 22 de setembro de 2014

5.ª Jornada da 1.ª Liga: Benfica 3-1 Moreirense

in abola.pt
O Benfica recebeu e venceu o Moreirense por 3-1, em jogo da 5.ª jornada do Campeonato Nacional. Eliseu, Maxi Pereira e Lima foram os autores dos golos das "águias".

Para este encontro, Jorge Jesus optou pelo seguinte "onze" inicial com uma estreia à baliza: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris (34’, Derley), Salvio, Gaitán (84’, André Almeida), Enzo Perez e Talisca (67’, Ola John); Lima.

Depois da jornada europeia, em que o Benfica foi obrigado a jogar com menos uma unidade durante metade da primeira parte e toda a segunda parte, diante do Zenit, esperava-se que o desgaste físico dos jogadores tivesse influência na prestação dos jogadores "encarnados", o que se veio a confirmar.

E o Moreirense soube tirar exactamente o partido desse factor, jogando a toda a largura do relvado e pressionando muito alto o Benfica, não permitindo o futebol com rápidas saídas que as águias tanto gostam de praticar. E, para dificultar ainda mais, muita desinspiração à mistura por parte dos jogadores da Luz.

Ainda assim, pertenceu ao Benfica a primeira oportunidade de golo da partida. Corria o minuto 14 quando Talisca, com um passe a rasgar a defensiva do Moreirense, isola Lima, mas o avançado brasileiro acaba por demorar na decisão de remate, permitindo a defesa de Marafona para canto.

in facebook.com
A resposta do Moreirense dá-se apenas 3 minutos depois, resultando no golo inaugural da partida (0-1). Cruzamento de Arsénio à esquerda para o cabeceamento vitorioso de João Pedro, completamente isolado. Júlio César nada podia fazer, com culpas para Eliseu que não acompanhou o jogador do Moreirense.

A esta altura, o resultado era justo, considerando um lance ocorrido aos 12' protagonizado por Arsénio e que Eliseu conseguiu resolver.

A partir daqui, o que se observou foi a uma insistência do abuso do anti-jogo, em especial pelo guarda-redes Marafona que passou grande parte do tempo no chão e a ser assistido.

O Benfica não jogava bem e, mesmo assim, os cerca de 40 mil adeptos voltaram a estar com os jogadores, incansáveis a puxar pela equipa e assobiando todas as situações de anti-jogo dos visitantes.

Em desvantagem, JJ decidiu, e bem, fazer a primeira alteração. Contrariando a tendência das substituições só no decorrer da segunda parte, lançou mais um homem para a frente, sacrificando o médio Samaris (34’),

O Benfica tornou-se mais ofensivo e teve perto do golo por intermédio de Jardel (38'), mas a desvantagem manteve-se até ao intervalo.

No reatar da partida, o Benfica entrou melhor, mas continuava a ter pela frente um Moreirense com as linhas muito subidas e muito pressionante, procurando explorar o contra-ataque (55').

Lima dispôs de mais uma boa oportunidade logo aos 47', mas o avançado atravessa uma fase menos boa e não conseguiu acertar com a baliza.

O Moreirense defendia como podia, sempre com Marafona em evidência na prática de anti-jogo, até que, aos 56', ficou reduzido a dez unidades. Oliveira comete falta perigosa à entrada da área e vê o segundo cartão amarelo e consequente ordem de expulsão. Livre directo que Lima encarregou-se de cobrar, mas o remate saiu à figura do guarda-redes.

A partir da expulsão o Benfica carregou sobre o Moreirense que acabou por dar o berro fisicamente.

Aos 63', Gaitán remata forte para a defesa a dois tempos de Marafona. Seguiu-se novo lance com os encarnados a desperdiçarem incrivelmente a oportunidade de empatar a partida. Cruzamento para as torres "encarnadas" com Jardel a falhar o remate numa primeira tentativa, acertando na bola à segunda, mas a bola acaba por ser travada por um jogador. Na recarga, Luisão atira por cima da baliza.

No entanto, aquando do primeiro remate por Jardel, a bola é travada pelo braço de um defesa do Moreirense, quando seguia para a baliza. Apesar de se tratar de um remate à queima, cortou um golo iminente devia, por isso, ter sido assinalada grande penalidade.

in facebook.com
A bola teimava em não entrar até que, já com Ola John em campo, apareceu mais uma vez Eliseu (69') a desbloquear o mau resultado, tal como sucedera no jogo contra o Boavista. Uma autêntica "bomba" do meio da rua a não dar quaisquer hipóteses de defesa a Marafona (1-1). Um golaço a levantar todo o Estádio da Luz!

Com a igualdade resposta, o Benfica foi à procura do segundo golo, conseguindo mais duas boas ocasiões para o fazer por Gaitán (73') e Ola John (74'), O golo era iminente e tal acabou por ser concretizado pelo "Super Maxi" Pereira (76'): cruzamento à esquerda de Gaitán, Marafona afasta com os punhos, mas a bola fica à mercê de Maxi que fuzila mais uma vez o guardião visitante. Estava feita a reviravolta no marcador (2-1).

in facebook.com
Já sem capacidade de resposta, o Moreirense piorou ainda mais as coisas quando, aos 82’, Anilton comete grande penalidade, num lance infeliz em que fez tropeçar o avançado "encarnado". O próprio Lima encarregou-se da cobrança, regressando finalmente aos golos. Bola para um lado, guarda-redes para o outro e Benfica pôde respirar de alívio (3-1).

Antes do final, Lima podia ter dilatado a vantagem, mas voltou a errar o alvo (90'+2). Com esta vitória e beneficiando dos empates do Vitória de Guimarães (1-1, diante do Paços de Ferreira) e FC Porto (0-0, diante com o Boavista) da derrota do Rio Ave (1-2, diante do Arouca) o Benfica isolou-se no topo da classificação
Enviar um comentário