segunda-feira, 10 de novembro de 2014

10.ª jornada da 1.ª Liga: Nacional 1-2 Benfica

in abola.pt
Na sempre difícil deslocação à Madeira, o Benfica suou para conseguir a vitória diante do Nacional, que permite aos encarnados recuperar a liderança, depois do Guimarães se ter adiantado à condição. 1-2 foi o resultado final, com a assinatura de Salvio e Jonas.


O "onze" escolhido por Jorge Jesus foi o seguinte: Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel e André Almeida; Enzo Perez, Salvio, Gaitán e Talisca (74’ Derley); Jonas (84’ Pizzi) e Lima (56’ Samaris).

As dificuldades esperadas não faziam prever uma entrada praticamente a perder. Ainda não se tinha completado o primeiro minuto e já o Nacional se adiantava no marcador, com um golo de Edgar Abreu. O jogador do Nacional rematou forte e colocado, sem hipótese para Júlio César (1-0).

in slbenfica.pt
Apesar do mau começo, apoiado pelo seu público, claques e simpatizantes locais, as "águias" reagiram de imediato, empantando a partida aos 6'. Jonas lança Gaitán na esquerda e este cruza para a cabeça de Salvio que bate Rui Silva. O guardião da formação é muito mal batido pelo remate fraco de Salvio (1-1).

O Benfica não defendia bem e, depois de uma falha de Luisão, o Nacional volta a estar perto do golo à passagem do minuto 10. Ao remate de Marco Matias júlio César correspondeu com uma grande defesa para canto.

Depois do susto, é o Benfica que ameaça o segundo golo aos 19' por intermédio de Jonas, assistido por Salvio num dos seus habituais longos arremessos laterais. Rui Silva imitou o seu rival com uma grande defesa para canto.

Na sequência do pontapé-de-canto, batido por Gaitán, a bola sobra novamente para Jonas que remata fraco e à figura, mas Rui Silva volta a ser infeliz na abordagem ao lance, não conseguindo impedir o golo do Benfica. Estava consumada a reviravolta.

No entanto o lance suscitou muito protestos do banco do Nacional. Jonas parece estar em linha, mas nem a repetição consegue esclarecer, por se tratar de um lance milimétrico. Na dúvida, fez bem o árbitro em deixar seguir a jogada.

in slbenfica.pt
A vencer, os "encarnados" partiram à procura do golo da tranquilidade. Gaitán tentou a sua sorte (31'), mas viu a bola ser desviada para canto na hora "H". Dois minutos depois, Salvio tem uma perdida escandalosa: Lima, à esquerda, cruza ao segundo poste onde aparece Salvio completamente sozinho, mas o argentino vislumbra-se e cabeceia muito ao lado da baliza. Inacreditável!

Depois do intervalo, a partida ficou mais calma, com o Benfica a tentar gerir o resultado. Consequentemente, o Nacional teve maior protagonismo, criando mais oportunidades de golo.

Logo aos 56', João Aurélio quase faz o golo depois de, aparentemente, ter falhado uma tentativa de cruzamento, com a bola quase a trair Júlio César.

A resposta do Benfica surge apenas dez minutos depois, com Gaitán a rematar para defesa a dois tempos de Rui Silva.

Aos 70' o jogo fica manchado por um erro grave da arbitragem. Erro de Luisão, mais um, a permitir um contra-ataque rápido que termina em golo para o Nacional. Todavia, o árbitro já havia apitado a assinalar posição irregular de Marco Matias. Na repetição, é claro que o jogador do Nacional está em jogo. Júlio César nem se fez ao lance, após o apito do árbitro. erro grave da equipa de arbitragem no lance que poderia ter dado o 2-2 ao Nacional

Na sequência desta falha da equipa de arbitragem dois elementos do banco do Nacional acabaram expulsos. por protestos.

Aos 79', nova falha "encarnada", deita feita por Samaris, que permite uma jogada que quase acaba em golo para a formação da casa. Felizmente, Rondom acertou na malha lateral.

Em cima do minuto 90, o Nacional desperdiça o empate. Marçal tira um bom cruzamento para a cabeça de Lucas João, mas o este atira por cima da baliza de Júlio César. O Benfica consegue resistis às ofensivas do Nacional segurar a preciosa vantagem mínima, mesmo para além, do tempo de descontos - o àrbitro concedeu 3 minutos mas o jogo só terminou aos 90'+5.

No final, o Benfica conseguiu passar sofridamente na Choupana e, beneficiando dos empates de Sporting (7.º) e Porto (3.º), voltou à liderança do campeonato, seguido pelo Vitória de Guimarães (2.º)
Enviar um comentário