segunda-feira, 3 de novembro de 2014

9.ª Jornada da 1.ª Liga: Benfica 1-0 Rio Ave

in abola.pt
Na abertura da 9.ª jornada do campeonato nacional, o Benfica recebeu e venceu o Rio Ave por 1-0. Talisca assinou o 8.º golo da sua conta pessoal, voltando a isolar-se na lista de melhores marcadores.

Em noite de festejos pelos 11.º aniversário do novo Estádio da Luz, cumpridos no passado dia 25 de Outubro, Jorge Jesus optou pelo seguinte "onze" inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Lisandro López, Luisão e André Almeida; Samaris (Gaitán, 45’), Salvio, Enzo Perez e Talisca; Lima (Pizzi, 75’) e Jonas (Derley, 88').

in facebook.com
A primeira oportunidade do jogo pertenceu ao Benfica pelo pé direito de Lima. Aos 15’, o brasileiro rematou cruzeiro para uma grande defesa de Cássio para canto. Todavia, a equipa de arbitragem assim não entendeu. A bola ainda roçou a barra. No minuto seguinte, Enzo Pérez arrancou num autêntico slalon mas rematou à figura do guardião adversário.

Depois foi preciso esperar mais oito minutos para ver a melhor ocasião da partida. Canto batido por Enzo e Lisandro López cabeceia para uma defesa inacreditável, por instinto, de Cássio a negar mais uma vez o golo. O guarda-redes iniciava mais uma noite memorável diante do Benfica.

A resposta do Rio Ave surgiu à passagem do minuto 35: Wakaso, com um remate de fora da área, obriga Júlio César a aplicar-se para manter o nulo no marcador.

No segundo tempo, perante a aposta falhada de JJ com Talisca à esquerda, Gaitán rendeu Samaris libertando o jovem brasileiro para o miolo do terreno. O Benfica ficou mais equilibrado e ganhou mais profundidade com o extremo argentino.

O Rio Ave assustou o público da Luz logo aos 55', com Tarantini a ganhar o duelo nas alturas com André Almeida e a cabecear para a defesa segura de Júlio César.

in facebook.com
A resposta do Benfica foi bem melhor (60’): uma bela jogada pela direita com a defesa vila-condense a conceder demasiados espaços; Talisca e o seu pé esquerdo trataram do resto; um remate de fora da área muito colocado e não dar qualquer hipótese de defesa a Cássio; Estava inaugurado o marcador com um golaço a fazer lembrar alguns tentos apontados por Óscar "Tacuara" Cardozo.

A perder, o Rio Ave decidiu finalmente jogar à bola e discutir o resultado e tudo a sua postura alterou-se, com o Benfica a demorar a assentar o seu jogo por forma a gerir o resultado e o esforço, uma vez que esta partida antecede a recepção do Mónaco para a Liga dos Campeões.

Os vila-condenses ameaçaram o empate por intermédio de Prince (64') e Diego Lopes (65'). Pouco depois surgiu o lance mais polémico da partida. Jogada de contra-ataque rápidos de três para três, que culmina com o golo de Esmael. Todavia, o golo foi anulado por fora-de-jogo assinalado pelo auxiliar.
A repetição confirma a ilegalidade do golo, mas o fora-de-jogo é miliméctrico.

in facebook.com
A polémica ganha mais relevo pelo facto do árbitro auxiliar se encontrar muito atrás da linha da bola e de só levantar a bandeira já depois de Esmael fazer o remate. Segundo dizem as regras, nestes casos, de dúvida, deve-se beneficiar quem ataca. Felizmente para o Benfica, assim não aconteceu.

A três minutos do fim do tempo regulamentar, Tarantini, com um cabeceamento de difícil execução erra a baliza de Júlio César por muito pouco. O Benfica conseguiu resistir e garantir a conquista de três pontos, mantendo a liderança do campeonato com um ponto de vantagem sobre o FC Porto (2.º) e dois pontos sobre o Vitória de Guimarães (3.º) que impôs uma pesada derrota ao Sporting (3-0).
Enviar um comentário