sexta-feira, 23 de março de 2012

Saudações duvidosas


Aqui está uma questão inspirada numa história que li em pequeno na qual um menino chamado Marcelo se questionava sobre os nomes das coisas, sobre a razão por que algo se chamava de uma maneira e não de outra.


Por exemplo, este menino interrogava-se porque é que se chamava Marcelo e não martelo; e porque é que o martelo não se chamava marmelo; ou porque é que o marmelo não se chamava Marcelo...?

Enfim, estas questões podem aplicar-se às expressões cordiais de cumprimento entre pessoas. Senão vejamos: convencionou-se que até às 12 horas se deve dizer "bom dia"; a partir das 12 horas diz-se "boa tarde"; e quando escurece diz-se "boa noite".

O problema reside nas vezes que nos cruzamos com alguém conhecido e dizemos "bom dia" e essa pessoa nos responde "boa tarde". O que me alerta para o facto de que deveríamos simplificar tudo isto, baseando-nos no facto de haver dois "estádios", designadamente "dia" e "noite". Assim, apenas teríamos de dizer "bom dia" ou "boa noite", estivesse de dia ou de noite. Até porque quando é de madrugada, nunca dizemos "boa madrugada", ao contrário do que acontece quando dizemos "boa tarde".
Enviar um comentário