quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Benfica falha 5ª final consecutiva da Taça da Liga

in slbenfica.pt

O Sporting de Braga e Sport Lisboa e Benfica encontraram-se esta noite para disputar a 1ª meia-final da Taça da Liga no Estádio Axa, em econtro que só foi decidido na lotaria da marcação de grandes penalidades, com a sorte a sorrir desta vez aos "minhotos".


Numa clara gestão de esforço do plantel, face ao calendário apertado e às frentes que o Benfica disputa - 1ª Liga, Taça de Portugal, Liga Europa e Taça da Liga -, o treinador Jorge Jesus procedeu a várias alterações no onze inicial dando oportunidade a Roderick a trinco e Urreta a extremo direito. Alinharam ainda Artur Moraes na baliza, André Almeida, Luisão, Jardel, Melgarejo na defesa; Carlos Martins e Gaitán no meio campo, Rodrigo e Cardozo na frente.

Sabendo de antemão que ao Braga apenas restava este troféu dos objectivos traçados para a presente época, não foi de estranhar a forma como entrou e jogou durante quase toda a partida, com mais posse de bola, mais cantos favoráveis e mais remates à baliza de Artur.

Contudo, coube ao Benfica a melhor oportunidade, logo aos 5 minutos, na sequência de uma rápido contra-ataque, com o avançado Rodrigo a rematar à trave da baliza defendida por Quim.

Na etapa complementar, Jorge Jesus colocou Aimar no lugar de Cardozo. O Benfica ganhou mais consistência no miolo do terreno e equilibrou a posse de bola, tanto defensiva como ofensivamente .

Ao minuto 76, a equipa detentora do troféu bem teve razões de queixa após passar despercebido à equipa de arbitragem uma falta cometida por Leandro Salino sobre Gaitán dentro da grande-área, portanto, passível de marcação de grande penalidade, clara sobretudo com a repetição televisiva. Considerando simulação, Gaitán deveria ver o segundo cartão amarelo e, consequentemente, receber ordem de expulsão.

Sem que o resultado tenha sofrido alteração no marcador, como ditam as regras desta competição, não houve lugar a prolongamento e a eliminatória teve de ser decidida através da lotaria da marca de grandes penalidades. 

O Benfica até começou melhor, com Rodrigo a converter o primeiro penalty, com Artur a defender o remate de Alan e Enzo Perez a converter o segundo tento. Mas depois, seguiram-se os falhanços de Luisão, cujo remate Quim defendeu, e de Roderick, que rematou ao lado da baliza.

E assim caiu por terra um dos objectivos do Benfica para a presente temporada, sendo que a prioridade agora se centra claramente nas restantes competições.

Enviar um comentário