domingo, 18 de agosto de 2013

1.ª Jornada da 1.ª Liga 2013-2014

in abola.pt
A equipa de futebol do Sport Lisboa e Benfica entrou com o pé esquerdo no arranque da 1.ª Liga 2013-2014, ao perder no Funchal por 2-1 frente ao Marítimo.


A forte humidade e a temperatura alta a rondas os 28.º C terá sido responsável pela toada morna com que ambas as formações se apresentaram. Ainda assim, o Benfica assumiu maior protagonismo, dominando a partida.

Não foi, portanto, de estranhar que a primeira oportunidade tenha pertencido à equipa visitante, por intermédio de Garay, a cabecear, mas com a bola a rasar a barra da baliza do Marítimo, sequência de um canto apontado por Gaitán (12’).

Mesmo a terminar a primeira parte, relembrando o fantasma dos golos sofridos nos descontos dos últimos jogos da temporada transacta,  Jorge Sousa assinalou grande penalidade favorável ao Marítimo, que Derley soube arrancar a Artur Moraes. Chamado a converter, o próprio Derley não se fez rogar e inaugurou o marcador (1-0).

Embora não sejam totalmente esclarecedoras, as imagens televisivas parecem mostrar o avançado do Marítimo ligeiramente adiantado face ao último defesa "encarnado", beneficiando de presumível posição de fora-do-jogo.

No entanto, não posso deixar passar em claro mais uma invenção de Jorge Jesus, como aliás tem vindo a acontecer ao longo dos últimos anos, ao colocar Ruben Amorim ao lado de Matic e Enzo Pérez na direita. O erro seria corrigido no intervalo, nomeadamente com as substituições operadas, ao lançar Olah John e Rodrigo para os lugares de Ruben Amorim e Djuricic, respectivamente.

Com o esquema de jogo de acordo com o que o Benfica está habituado a jogar, ou seja, com dois avançados, à passagem do minuto 50', a dupla atacante das "águias" combinaria de forma perfeita, na sequência da intercepção de um mau passe de Márcio, com Lima a cruzar para a entrada vitoriosa da Rodrigo.

Com a igualdade restabelecida, apesar do domínio permanecer do lado do Benfica, muita cerimónia na hora de rematar e precipitações, conjugadas com alguma falta de sorte, conduziram a novo adormecimento dos jogadores.

Aos 78’, num rápido contra-ataque, Héldon cruza ao primeiro poste, onde aparece Sami a aproveitar a lentidão e má marcação dos centrais, para desviar a bola para o segundo golo do Marítimo.

Já nos descontos, quase a terminar o jogo, Lima é derrubado com um toque ligeiro na anca direita, dentro da grande área do Marítimo, lance passível de marcação de grande penalidade, que, no entanto, passou em claro à equipa de arbitragem liderada por Jorge Sousa.

Fica a sensação de injustiça no marcador, bem como no capítulo técnico e disciplinar das decisões de Jorge Sousa ao longo da partida, com os jogadores "encarnados" a serem mais prejudicados, revelando-se alguma dualidade de critérios.

O Benfica de Jorge Jesus continua sem conseguir vencer o primeiro jogo do campeonato e ainda o espera um difícil calendário, pelo que, a julgar pelas vaias aos jogadores e treinador à saída do autocarro "encarnado" do Estádio dos Barreiros, o desfecho das próximas jornadas será cruciais para decidir o futuro do clube da Luz.
Enviar um comentário