quinta-feira, 24 de julho de 2014

Pré-temporada: Marselha 2-1 Benfica

in abola.pt
Depois da participação na Taça de Honra da Associação de Futebol de Lisboa, em que disputou duas partidas, o Benfica rumou a França onde realizou, no estádio Gabriel Montpied, o terceiro jogo de preparação da época 2014-2015. A partida terminou com a vitória do Olympique de Marseil por 2-1, com único o tento das águias a ser assinado por Gaitán.


Para esta partida, Jorge Jesus escolheu o seguinte onze inicial: Artur Moraes (Paulo Lopes, 65’); João Cancelo (Luís Felipe, 69’), Sidnei, César, Benito; Ruben Amorim (João Teixeira, 46’), Talisca (Victor Andrade, 82’), Ola John (Jara, 46’), Gaitán (Candeias, 46’); Lima (Cardozo, 46’) e Derley (Nélson Oliveira, 46’) (Bernardo Silva, 82’).

Diante de um Marselha em fase mais adiantada da preparação, o Benfica surpreendeu ao entrar mais pressionante, dominando com naturalidade os instantes iniciais. Não foi, pois, de estranhar que tenha chegado ao golo inaugural logo aos 13', por intermédio de Gaitán.

O extremo argentino iniciou uma jogada de contra-ataque, lançando Lima com um passe em profundidade; a bola foi interceptada, mas, fruto de uma atrapalhação entre dois defesas da equipa francesa, a bola acaba para sobrar para a entrada da área, onde estava Gaitán a rematar forte e bem colocado ao canto inferior esquerdo da baliza marselhesa.

A reacção do Marselha foi imediata e, após algumas tentativas travadas por Artur, Gignac restabeleceu o empate (21’) na sequência de um pontapé da canto em que César e Talisca erraram a marcação.

Depois do golo do empate, o árbitro decidiu inclinar a partida para os da casa: primeiro, Thauvin agride Gaitán e, depois de consultar o auxiliar, opta por punir os envolvidos com um cartão amarelo para cada jogador. Seguiu-se uma série de amostragem de cartões amarelos exagerados e perfeitamente evitáveis, percebendo-se que o árbitro começava a perder o controlo do jogo. Pouco depois, fica por assinalar uma grande penalidade claríssima sobre Ola John, cometida por Lucas Mendes. Incrível!

No segundo tempo, o Benfica voltou a entrar por cima, mas acabaria por ser o Marselha a chegar ao golo por intermédio de Batshuayi (56'). Quatro minutos depois, Jara faz uma falta duríssima por trás e vê o cartão vermelho directo (60'), comprometendo de vez as aspirações "encarnadas". Decisão acertada. No entanto, o curioso é que neste caso o árbitro não teve quaisquer dúvidas, confirmando a dualidade de critérios no ajuizamento dos incidentes que se vinha a assistir, nomeadamente o lance da agressão a Gaitán.

Apesar destas contrariedades, o Benfica quase chegava ao empate pelos pés de João Teixeira e Victor Andrade. Mas o marcador não mais funcionou, terminando na segunda derrota do Benfica desde que iniciou a fase de preparação.

Convém, no entanto, referir que o Benfica tem dado primazia aos reforços, contratados ou vindos da equipa B, não contando, por motivos diversos, com a maioria dos titulares que se mantêm no plantel. casos de Enzo Pérez, Salvio, Luisão, Sulejmani, Fejsa ou Maxi Pereira.
Enviar um comentário