sábado, 28 de setembro de 2013

Pedro Proença, o "anjo da guarda" do FC Porto


Depois de uma semana em que muito se falou no caso Jorge Jesus, constituído arguido, acusado de agressão na face e no braço de um ente de autoridade, a mesma esteve repleta de críticas à arbitragem, sobretudo por parte do FC Porto, francamente prejudicado no jogo com o Estoril, uma vez que o os dois golos sofridos surgiram de erros de arbitragem: o primeiro, uma falta fora da área transformada em penalti; e o segundo, com um golo marcado por um jogador que parte de uma posição de fora-de-jogo.


E com isto, a pressão para o jogo entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, no Estádio do Dragão, era muita, apesar da arbitragem recair sobre o "melhor do mundo" (pelo menos é o que diz a FIFA), Pedro Proença.

E tudo parecia correr bem, com o Porto a fazer tudo para traduzir o domínio em golos, mas sem o conseguir, até que Pedro Proença conseguiu ver aquilo que nem os adeptos presentes no estádio (pelo menos os imparciais) nem os telespectadores, que beneficiaram de várias repetições do lance (também os imparciais, obviamente), viram: uma grande penalidade sobre Quintero.

in record.xl.pt
E agora pergunto, por que é que Pedro Proença, sobretudo nas Antas, erra sempre beneficiando a equipa da casa? Será só coincidência em todos os anos da sua carreira?

Adiante. Vejamos a diferença das primeiras páginas dos jornais desportivos para ver o destaque que cada um deu ao lance que acabou por dar os 3 pontos aos "azuis-e-brancos", sem o qual, seria o segundo empate consecutivo e a perda de mais 2 pontos para os seus rivais.

Ao "Sul":

E ao Norte:

Não preciso de escrever mais sobre estas três imagens que dizem tudo por elas, pois não esperava outra coisa. Aliás, diz-se que "uma imagem vale mais do que mil palavras", o que se aplica aqui na perfeição.
Enviar um comentário