sexta-feira, 4 de abril de 2014

Liga Europa - 1.ª Mão dos Quartos-de-final: AZ Alkmaar 0-1 SL Benfica

in abola.pt
O Sport Lisboa e Benfica defrontou o AZ Alkmaar em partida da 1.ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa. Salvio assinou o único golo da partida, dando uma importante para o jogo da segunda mão, na próxima quinta-feira, 10 de Abril.


O AZ Alkmaar, que actualmente ocupa o 7.º lugar no Campeonato Holandês, entrou a todo o gás, aproveitando a passividade da formação "encarnada" e criando logo nos primeiros minutos boas oportunidades para golo: aos 5', Roy Beerens, sobre a esquerda, rematou um pouco ao lado da baliza de Artur; aos 19', foi a vez de Aron Jóhannsson, que vê Artur defender com o pé esquerdo para canto; depois, Berghuis (20') tem um remate fortíssimo, com o guardião brasileiro a fazer uma grande defesa com a mão direita.

O Benfica fez o seu primeiro remate por intermédio de Maxi Pereira (22'). Na sequência de um ressalto na área, o uruguaio rematou com o pé esquerdo, mas a bola esbarrou em Ortiz. No entanto, o lance serviu para dar confiança às "águias" que conseguiram sacudir a pressão do Az Alkmaar. A partir daqui, a partida tornou-se mais equilibrada. No minuto seguinte, Rodrigo fugiu a um adversário e rematou forte, mas a bola passou cima da baliza.

in facebook.com
Aos 37', Rúben Amorim perde a bola a meio-campo e permite o conta-ataque do AZ Alkmaar. Felizmente o remate de Berghuis é interceptado e acaba por morrer nas mãos de Artur. O médio português fica deitado no relvado, pedindo a assistência médica.

A repetição do lance revela uma potencial lesão grave. Inicialmente ficou a ideia de se tratar de uma entorse do joelho, mas tudo aponta que seja ao nível do tendão de Aquiles. A confirmar-se o pior cenário, Rúben Amorim pode ter terminado a época e hipotecado a presença no mundial do Brasil. Muito azar para o médio polivalente que no melhor momento de forma volta a lesionar-se.

No reatar da partida, Siqueira protagonizou mais um lance para o Benfica, mas o remate saiu muito por cima. Depois foi a vez de Rodrigo (40') desperdiçar, de forma acrobática, o que parecia ser golo certo, rematando por cima da barra.

Mesmo antes do intervalo, Berghuis voltou a proporcionar a Artur mais uma grande intervenção (45'), conservando o empate a zero.

in facebook.com
Na segunda parte o Benfica entrou dominante e cedo colheu os seus frutos: aos 48', jogada de ataque pela zona central, com Rodrigo a fazer o passe para Cardozo, a bola é interceptada, mas sobra para Cardozo que remata forte para defesa por instinto de Alvarado; na recarga, Salvio, com um remate acrobático, faz um grande golo.

O AZ Alkmaar acusou em demasia o golo sofrido e os "encarnados" dominaram por completo o segundo tempo. As únicas vezes que o AZ conseguiu chegar com algum perigo à baliza defendida por Artur, aconteceram aos 54' e aos 71'. Na primeira, Viktor Elm, já dentro da área, rematou de cabeça, fraco, para a defesa fácil de Artur. A segunda, pelos pés de Roy Beerens, com um remate ao lado.

Ainda longe do ritmo, mas em crescendo de forma, Cardozo (52') fez nova ameaça.

O avançado paraguaio acabaria por ser substituído aos 64', mostrando-se insatisfeito e materializando posteriormente ao deitar uma toalha ao chão, já no banco do Benfica. E compreende-se a sua frustração, pois a lesão nas costas de que foi vítima, afastou-o no seu melhor momento. Curiosamente, foram os seus golos que valeram a recuperação do Benfica no início do campeonato nacional, quando os "encarnados" apresentavam um mau futebol, chegando a estar a cinco pontos do FC Porto. A sua saída obrigou Jorge Jesus a alterar o esquema de jogo e, neste momento, Cardozo, pelas suas características, pouco móvel, não tem lugar na equipa, não merecendo a confiança do técnico dos "encarnados". Mas não convém esquecer tudo o que de positivo Cardozo proporcionou ao Benfica, pelos golos que marcou nas competições nacionais e internacionais, tornando-se no melhor marcador estrangeiro do clube de sempre.

Cinco minutos depois, azar para Rodrigo que, cabeceia para a baliza, sem Alvarado, mas a bola é interceptada por um adversário para linha de fundo. Na sequência do pontapé de canto, Garay sobe ao 1.º andar e cabeceia na direcção de Rodrigo que tenta o desvio à boca da baliza, mas a bola sai muito por cima.

O hispano-brasileiro voltou a estar evidência à passagem do minuto 68 com um remate forte e colocado que saiu a razar o poste direito da baliza do AZ Alkmaar. Depois disso, só aos 82' é que voltou a haver perigo junto à baliza de Alvarado. Lima, de cabeça, obriga o guarda-redes a uma defesa apertada e, logo a seguir, volta a negar o golo à recarga de André Gomes.

O Benfica consegue uma vitória pela vantagem mínima, mas muito importante. Por outro lado, JJ volta a quebrar mais um recorde: há mais 45 anos que o Benfica não vencia na Holanda.

De referir ainda que Gaitán e Maxi Pereira, que estavam em risco de exclusão, viram o cartão amarelo e falham a segunda mão dos quartos-de-final. Mas ficam limpos caso o Benfica passe à meia-final da prova.
Enviar um comentário