domingo, 30 de março de 2014

25.ª jornada da Primeira Liga: SC Braga 0-1 Benfica

in abola.pt
O SL Benfica teve uma deslocação difícil à Pedreira, no Minho, onde defrontou o SC Braga, no Minho, em jogo da 25.ª jornada do campeonato nacional. Lima carimbou o único golo que deu a vitória das “águias” no Estádio AXA.


De volta ao onze titular, Jorge Jesus fez alinhar Oblak na baliza; Sílvio, Luisão, Garay e Siqueira na defesa; Fejsa e Enzo Pérez (Rúben Amorim, 68’) ao centro, Gaitán e Markovic (Salvio, 85´) nas alas; e Lima e Rodrigo (André Gomes, 90’+2) na frente.

Depois do desaire de Quarta-feira no Dragão,a expectativa era grande relativamente a como se portariam os pupilos de JJ. No pontapé de saída, o Braga acercou-se da área "encarnada", chegando a encostar as "águias" ao último terço do relvado nos primeiros minutos.

A pressão foi aliviada aos 8', quando Enzo Pérez fez uma assistência para Gaitán. Este contornou Eduardo, mas atirou às malhas laterais da baliza, deserta, revelando algum excesso de confiança na hora do remate.

O aviso estava dado e, aos 13', Gaitán lança Rodrigo pela esquerda e este, com uma simulação com o corpo, foge a Tomás Dabó e entrega a Lima que "fuzila" Eduardo (1-0).

À passagem do minuto 15 Siqueira faz falta sobre Pardo e vê o cartão amarelo. Consequentemente, cumprirá um jogo de castigo, falhando a próxima jornada. Nada a dizer sobre o lance, sobretudo quando Pardo ficou a sangrar do rosto. No entanto, momentos antes, Gaitán é ensanduichado por dois jogadores que acertam cada um com os cotovelos no pescoço do argentino. O lance passou despercebido à equipa de arbitragem.

O SC Braga começou a subir mais no terreno e, aos 30', criou a sua primeira oportunidade de golo. Canto marcado por Rúben Micael e Rusescu aparece a cabecear no meio de Oblak e Luisão. A bola passa a rasar a barra.

Até ao intervalo de referir alguns lances com algum perigo junto à baliza de Oblak, anulados pela dupla de centrais e Siqueira. Em termos disciplinares, Pedro Proença chamou a atenção aos dois treinadores, Jorge Jesus e Jorge Paixão.

A segunda parte trouxe dos balneários um Benfica demasiado preocupado em gerir a partida e o esforço pela posse de bola. Como tal, o Braga agigantou-se e começou a acreditar num possível golo.

O minuto 54 é marcado por mais um erro grave de Pedro Proença. Um jogador do Braga é carregado pelas costas à entrada da área do Benfica, o que resultaria num livre muito perigoso. Proença manda seguir e na sequência do contra-ataque, Markovic sofre falta pelas costas. Ficaria isolado, se passasse. Proença mostrou o cartão amarelo a Nurio.

Aos 59', Piqueti quase fazia golo, após cruzamento de Pardo. Sílvio não chega à bola e Piqueti falha o cabeceamento. Na insistência, o jogador do Braga tenta o remate com o calcanhar, mas Oblak, atento, evita o golo do empate.

No minuto seguinte, o perigo rondou a baliza de Eduardo. Na tentativa de atrasar para o guarda-redes, Paulo Vinicius coloca a bola por cima de Eduardo, mas a bola acaba por sair ao lado. Esta era a primeira oportunidade para o Benfica no segundo tempo.

Jorge Jesus operou, pouco depois, a primeira alteração, colocando Rúben Amorim no lagar do apagado Enzo Pérez. Os "encarnados" ganhavam, assim, outra consistência no miolo do terreno.

Todavia, seria a equipa da casa a criar, de novo, perigo junto à baliza à guarda de Oblak. Aos 73', Rusescu antecipa-se ao guarda-redes do Benfica e coloca o bola na pequena área. Pedro Proença assinala uma infracção que não consegui descortinar. Aparentemente uma mão na bola ou a saída da bola pela linha de fundo.

Pedro Proença volta a estar em evidência pela negativa aos 82'. Fejsa faz falta sobre Erivaldo e interrompe um contra-ataque do Braga. Deveria ter visto o segundo cartão amarelo e consequente ordem de expulsão.

O Benfica tinha de fazer algo para garantir a vitória e Markovic, com um remate acrobático após um canto de Gaitán, obriga Eduardo a uma grande defesa. Na recarga, Lima tenta o chapéu, mas a bola sai por cima da baliza.

Já nos descontos, Rodrigo é rasteirado e Proença, sem hesitar, aponta para a marca de grande penalidade. Lance de difícil análise, na medida em que acontece encostado à linha de fundo. Na marcação, Rodrigo hesita um pouco e permite a defesa de Eduardo.

Pouco depois terminou a partida, que mantém o Benfica na liderança do campeonato, com 7 pontos de vantagem para o Sporting. Entretanto, aumentou para 15 pontos a vantagem para o FC Porto (3.º) que perdeu na Choupana por 2-1.

Faltam cinco jornadas para o final e o Benfica jogará três delas no seu estádio, um calendário francamente favorável para a conquista do título. Assim se espera, mas sem euforias, pois o passado recente assim nos obriga.
Enviar um comentário