sábado, 25 de janeiro de 2014

10.º Aniversário da morte de Miklos Fehér

in benficampeao.com
O dia 25 de Janeiro é particularmente triste para todos os benfiquistas. Não só porque Eusébio, falecido no início do ano (05-01-2014), comemoraria o seu 72.º aniversário, mas também porque se assinala o 10.º aniversário da morte de outro jogador do Benfica: Miklos Fehér.


O acontecimento foi testemunhado em directo por milhares de telespectadores que assistiam pela televisão ao jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, o que chocou o país e o mundo, para além de todos os que estiveram naquele dia no campo da "cidade-berço" de Portugal.

A morte de Miklos Fehér em directo

O Benfica disputava mais um jogo do campeonato, vencia por 0-1 e estava a poucos minutos do final da partida. Após receber um cartão amarelo, Fehér esboçou o seu último sorriso antes de "virar as costas à vida". Percebeu-se que estaria a sentir-se mal, debruçando-se e caindo, de seguida, de costas no chão.

Os jogadores de ambas as equipas depressa perceberam a gravidade da situação, intervindo de imediato e ajudados por ambas as equipas médicas. Instalaram-se momentos de pânico geral. Percebendo-se que Fehér não sofrera um mero desmaio, mas sim uma paragem cardio-respiratória, Olegário Benquerença ordenou o término do jogo. Os médicos tentaram a reanimação, mas sem sucesso. Chegou a haver um falso sinal de recuperação quando o jogador foi entubado, mas tal deveu-se a um reflexo involuntário do corpo. Fehér viria a ser declarado morto às 23:10 do mesmo dia, já no hospital.

Miklos Fehér tinha apenas 24 anos e atravessava o melhor período da sua curta carreira futebolística, depois de ter passado pelo FC Porto e pelo SC Braga.

O Funeral

À semelhança do funeral do "pantera negra", o corpo do jovem jogador húngaro esteve em câmara ardente no átrio do Estádio da Luz, onde foi homenageado por centenas de adeptos, jogadores adversários e dirigentes de outros clubes, antes do funeral em Gyor, a sua terra natal.

A homenagem do Sport Lisboa e Benfica

A primeira homenagem do clube "encarnado" passou por retirar o número “29” do plantel. Assim, nenhum outro futebolista o poderá vestir.

Nesse mesmo ano o Benfica conquistou a Taça de Portugal ao derrotar o FC Porto por 2-1, depois de estar a perder. Fyssas e Simão Sabrosa foram os autores dos golos das "águias". O triunfo serviu de dedicação a Fehér. Em seguida, foi colocado um busto do jogador no átrio da porta 18 do Estádio da Luz.

Por fim, o Benfica instituiu o Prémio Miklos Fehér, que todos os anos distingue professores e alunos que se notabilizem em diversas áreas na antiga escola do jogador, em Gyor, na Hungria, e que os traz anualmente a Lisboa.
Enviar um comentário