quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

1.ª Liga - Futebol: Gil Vicente 1-1 Benfica

in slbenfica.pt
A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se, este Sábado, ao Minho para defrontar o Gil Vicente pela quarta vez esta época, desta feita, a contar para a 17.ª jornada do Campeonato Nacional, tendo empatado a uma bola, com golo de Lima.


As "águias" entraram em campo tendo em antemão uma boa notícia: a derrota do "dragões" nos Barreiros frente ao Marítimo. No entanto, regra geral, sempre que um rival escorrega, o outro não costuma aproveitar. E foi o que sucedeu com o Benfica. Felizmente, no Domingo, o Sporting também não foi além de um empate a zero frente à Académica.

Se bem que a ansiedade possa interferir no desempenho dos jogadores, face ao conhecimento da perda de pontos de um adversário directo na luta pelo título, neste caso o FC Porto, não podemos deixar de referir o estado lastimável com que se encontrava o relvado do Estádio Cidade de  Barcelos: um autêntico lamaçal que prejudicou, sem dúvida nenhuma, os atacantes do Benfica.

Ao contrário da nulidade ofensiva por parte do Gil Vicente que se verificou no encontra da Taça da Liga, este encontro foi pautado por uma entrada com ambos as formações a repartirem o jogo.

No entanto, coube às "águias" o maior pendente ofensivo, como seria de esperar. Aos 8', Markovic, em excelente posição, rematou de primeira para defesa fácil de Adriano, uma vez que o remate do sérvio saiu fraco. Dois minutos depois (10’), foi a vez de Luisão ver a defensiva gilista negar o golo ao central brasileiro. No minuto seguinte (11'), Rodrigo perde o golo certo, traído pelo estado do relvado (para não dizer lama!) que trava a bola, impedindo o jovem avançado de atacar da melhor forma a bola.

Até ao final da primeira parte, de referir apenas mais duas oportunidades para o Benfica e uma para o Gil Vicente, mas o lance foi anulado por fora-de-jogo.

No regresso do descanso, o Benfica entrou ainda mais pressionante, resultando num acumular de faltas por parte da formação da casa. Aos 51’, o primeiro erro grave do encontro: Rodrigo é agarrado e puxado pela cintura, sendo impedido de disputar um cruzamento de Maxi Pereira. Bruno Paixão fez “vista grossa” à grande penalidade.

Decorria o minuto 57 quando o árbitro expulsou Siqueira por acumulação de amarelos. Nada a dizer neste lance. Todavia, o Benfica pode queixar-se do primeiro cartão amarelo ter sido exagerado, face ao critério de Bruno Paixão para outros lances. Seja como for, o defesa brasileiro, sabendo que tinha um cartão amarelo, deveria ter abordado o lance com o devido cuidado. Como não o fez, foi mais cedo para os balneários, comprometendo, à partida, a estratégia do Benfica, quando Óscar Cardozo preparava-se para entrar na partida.

Mesmo em inferioridade numérica, quase não se notou e o Benfica chegou mesmo à vantagem: aos 60', Brito, o mesmo jogador que esteve na origem da expulsão de Siqueira, pontapeia as costas de Gaitán, dentro da grande área, e Bruno Paixão não hesitou em apontar para a marca de grande penalidade. Na sua cobrança, Lima não vacilou e fez o 0-1.

Contra a corrente do jogo, no primeiro remate que fez à baliza de Oblak, o Gil Vicente conseguiu chegar ao golo (73'), num erro do guardião "encarnado". Após uma lance de insistência, Vítor Gonçalves rematou de primeira e Oblak aborda mal o lance, tentando desviar a bola para canto, conseguindo apenas fazê-lo para a própria baliza. O jovem guarda-redes foi um pouco displicente e, no mínimo, mal-batido.

Como resposta, Jorge Jesus lançou Cardozo (74') e Ivan Cavaleiro (79'), correndo atrás do prejuízo.

Depois de quase três meses ausente, o paraguaio teve nos pés o segundo golo do Benfica (82'), mas Adriano defendeu, por instinto, com as pernas.

Num úçtimo esforço, JJ lançou Djuricic (89') que já no período de descontos "arrancou" um penalti. O lance é duvidoso e quanto a mim bastante forçado. Mas a verdade é que há uma repetição que dá a ideia de que o jovem sérvio leva uma "rabada" pelas costas, sendo portanto empurrado. Bruno Paixão, em jeito de compensação pelo lance que não marcou sofrido por Rodrigo, assinalou a grande penalidade. Cardozo, assumiu a sua marcação, mas permitiu a defesa de Adriano, com um remate rasteiro para o meio. De no tar, uma vez mais, o estado do relvado, sobretudo do local da marca de grande penalidade, em que o jogador teve de alisar a lama para conseguir colocar o esférico.

Com este resultado, o Benfica soma 40 pontos na tabela classificativa, mais dois que o Sporting, antes de receber os "leões" na próxima jornada. A vantagem para o FC Porto é de 4 pontos.
Enviar um comentário