quinta-feira, 25 de abril de 2013

Liga Europa: Fenerbahçe - 1 | Benfica - 0

in pronosticuripariuri.info

A equipa de futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se a Istambul para defrontar a primeira mão da meia-final da Liga Europa frente ao Fenerbahçe, que infligiu a primeira derrota aos "encarnados" na presente edição desta competição por uma bola a zero.


Jorge Jesus (JJ) surpreendeu ao colocar Pablo Aimar de início, deixando Gaitán no banco. Não compreendo esta decisão apesar de saber que a frescura física dos jogadores do Benfica já estão visivelmente em quebra.

Mesmo assim, começou melhor a formação "encarnada" criando algum perigo e controlando o jogo, situação que durou até à entrada do primeiro quarto de hora da primeira parte. Salvio (6') criou a primeira situação de golo, a passe de Cardozo, mas já com o ângulo fechado, rematou contra o guarda-redes Demirel. Depois foi Aimar, aos 13', a remataa colocado, mas ao lado do poste direito da baliza.

Depois entrou o factor sorte que tem acompanhado o Benfica nesta Liga Europa, com o adversário a acertar, por duas vezes, a bola ao poste/barra da baliza de Artur Moraes.

Primeiro foi a vez de Sow (20') cabecear à barra da baliza de Artur. E, mesmo a terminar (43'), foi a vez de Cristian desperdiçar o castigo máximo, depois de Olah John cometer grande penalidade sobre o extremo da equipa turca. Quanto a mim, foi um lance involuntário, o que não inviabiliza a marcação do penalty. O holandês do Benfica viu o cartão amarelo e é baixa confirmada para o jogo da segunda mão.

Para a etapa complementar JJ fez entrar Gaitán para o lugar de Aimar, mas o argentino demorou a entrar na partida.

Logo nos instantes iniciais, Artur negou, por duas vezes, o golo ao Fenerbahçe com duas grandes defesas: primeiro, ao remate de Cristian (47') e, no minuto seguinte, a Raúl Meireles (48'). Aos 53' foi a vez dos turcos verem mais uma bola embater no poste da baliza de Artur. Desta feita, coube a Kuyt com um remate à meia volta.

Do lado do Benfica, saiu do pé esquerdo de Gaitán a melhor oportunidade de golo do Benfica, com um remate colocado a embater no poste e depois a sair pela linha final. Neste momento, o "resultado" era de 3-1 em bolas ao poste.

Aos 63 minutos, já após a saída de Raúl Meireles, lesionado, JJ lançou Rodrigo para o lugar de Olah John, mas o brasileiro também não esteve bem.

Aos poucos o Benfica foi demonstrando intranquilidade perante o ambiente infernal criado pelos fanáticos adeptos turcos. Notou-se isso nos sucessivos passes errados. Até que na sequência de um pontapé de canto mal assinalado, Cristian cruza ao segundo poste onde, Melgarejo, na tentativa de corte, acaba por fazer uma assistência a um jogador do Fenerbahçe que cabeceia, com a bola ainda a roçar no poste e a entrar na baliza de Artur. Jardel ainda efectuou o corte, mas na repetição e por indicação do juiz de baliza, vê-se que a bola entrou mesmo.

Numa fase em que o Benfica procurava chegar ao empate, entrou Carlos Martins (80') para o lugar de André Gomes, que pouco antes dispôs de boa oportunidade, mas deixou-se antecipar na cara do guarda-redes. O Benfica ganhou mais consistência a meio campo para os minutos finais, levando-me a afirmar que esta teria sido ,talvez, a melhor opção em vez de Aimar, numa perspectiva de maior contenção, organização e possibilidade de recurso à forte meia-distância no remate.

Curiosamente, repete-se o mesmo resultado da última vez em que estas formações se defrontaram, em 1975. Espera-se que o Benfica, no seu estádio, com um relvado melhor e com o apoio do seu público, possa conseguir vencer e alcançar a final da prova. Recorde-se que na primeira mão desse ano, o Benfica derrotou o Fenerbahçe por 7-0. Claro que estes resultados são quase impossíveis de repetir, mas no futebol tudo é possível e a desvantagem inicial deixa algum espaço à recuperação e discussão da eliminatória.

Enviar um comentário