segunda-feira, 24 de março de 2014

24.ª Jornada da Primeira Liga: Benfica 3-0 Académica

in abola.pt
Perto de 50 mil espectadores deram a terceira maior assistência no Estádio da Luz, esta época, na recepção da Académica de Coimbra em jogo da 24.ª jornada da Primeira Liga. Os pupilos de Jorge Jesus brindaram o seu público com uma exibição segura e Lima (2) e Enzo Pérez facturaram os mesmo números verificados na primeira volta: três golos sem resposta que mantém o Benfica na liderança isolada, com sete pontos de vantagem para o segundo classificado. 


O primeiro golo não tardou a aparecer, tendo por base um Benfica com mais posse de bola, a lembrar o "tikitaka" do Barcelona.

Aos 11', depois de um lançamento lateral favorável à Académica, o lance é cortado por Fejsa, Lima, no vértice da Grande área, amortece a bola com o peito e deixa para Rodrigo que, aguenta a carga e remata ao poste. na recarga, Halliche na tentativa de aliviar, encontra a perna de Lima que encosta para o 1-0. 

Numa jogada, azar de Rodrigo e Halliche e sorte e oportunismo de Lima a fazerem a diferença. Estava dado o mote aos festejos do final de tarde de Domingo.

Aos 24’, erro grave da arbitragem. Lima queixa-se das costas junto à linha-de-fundo e Rui Costa interrompe o jogo. Na repetição pode ver-se o avançado brasileiro a levar uma joelhada na base das costas por Fernando Alexandre dentro da grande área. Grande penalidade que ficou por assinalar.

Num jogo quase de sentido único, Sílvio recupera a bola ao meio-campo e lança Markovic em velocidade. O sérvio faz um passe magistral para a boca da baliza, onde aparece Lima a encostar uma vez mais para o fundo das redes (2-0).

Mesmo em cima do intervalo, uma grande jogada de Siqueira quase termina o terceiro golo do Benfica, mas Ricardo opõe-se com segurança.

Na segunda parte, com a vantagem de dois golos, o Benfica reduziu o ritmo de jogo, gerindo a posse de bola, mas confirmando o domínio da primeira parte, cujos números não deixam dúvidas: 68% contra 32% para a Académica.

Aos 59’, Enzo Pérez rouba a bola a Halliche, combina com Rodrigo e, já em desequilíbrio depois de um "chega para lá" do defesa da briosa, consegue ter a capacidade de execução para desfeitear, pela terceira vez, Ricardo (3-0).

No minuto seguinte, Rodrigo finta o guarda-redes e tira um remate fortíssimo, mas a bola volta a esbarrar no ferro. O hispano-brasileiro teimava em não acertar com a baliza. Merecia um golo, sem dúvida, mas o futebol tem destas coisas.

À passagem do minuto 68, a Académica consegue finalmente chegar com perigo - e que perigo! - à baliza do Benfica. Djavan cruza ao segundo poste com Rafael Lopes a cabecear completamente sozinho depois de Luisão "ficar a ver navios". Oblak estava batido, mas a bola passou a rasar o poste.

Depois deste lance, a Académica não mais conseguiu incomodar verdadeiramente a formação da casa, que dispôs de mais uma ocasião para dilatar a vantagem. Como "não há duas sem três", Salvio tenta a sua sorte, mas acerta em cheio na barra (90'+1).

Dois minutos depois, Rui Costa dá o apito final. O Benfica, invicto em casa esta temporada, com esta vitória, mantém a mesma distância (7 pontos) para o Sporting (2.º), a seis jornadas para o fim do campeonato.

O onze escolhido por Jorge Jesus foi o seguinte: Oblak; Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira; Markovic, Enzo (75’, Rubem Amorim), Fejsa, Gaitán (65’, Salvio); Rodrigo (73’, Cardozo) e Lima.
Enviar um comentário