sexta-feira, 4 de maio de 2012

"A Liga Zon Fruta"

Descobri este vídeo no Youtube e, não concordando em pleno com tudo o que vi, também posso dizer que a minha discordância acontece com apenas 1 ou 2 lances, portanto, manifestamente irrelevante. Um resumo de: "O que para uns é verdade, para outros é mentira."

in www.youtube.com


Não podemos responsabilizar o insucesso do Benfica apenas com a arbitragem, embora ela tenha sido decisiva, pois também há que reconhecer uma menos eficiente gestão do plantel em determinados momentos, inclusive a respeito da atitude que se exigiria em momentos cruciais.

Outro aspecto ao qual não podemos fugir e que nos remete novamente para a questão da arbitragem é a descredibilização desta profissão, nomeadamente com os acontecimentos protagonizados por estes "juízes do futebol". Desde a greve dos árbitros ao secretismo à volta da sua nomeação, conhecendo-se apenas na véspera ou no próprio dia do jogo.

Olegário Benquerença

Não me venham com histórias, pois não se entende que um árbitro - Olegário Benquerença, sobejamente conhecido pelos erros grosseiros contra o Benfica -, seja afastado durante todo o campeonato e possa ser nomeado precisamente para um jogo decisivo como foi o Rio Ave - Benfica, cujo resultado (empate a duas bolas) permitiu ao FC Porto a conquista do título de campeão nacional. Com uma agravante: duas grandes penalidades claríssimas a favor do Benfica não assinaladas.

De referir que ao Rio Ave também interessava a vitória, pois está em causa a manutenção na liga (mais um motivo!). Invocando a imparcialidade que me caracteriza, tenho de admitir que também ficou por marcar um penalti a favor do Rio Ave.

E não se percebe isto: que uma simulação de penalti seja punido com admoestação com o cartão amarelo (Kelvin, jogador do Rio Ave). Muito bem! Bravo! Mas se os outros lances de que se queixou (e com razão) o Benfica, o árbitro estava de frente e a poucos metros de distância, mandando de pronto os avançados (Cardozo e Saviola, respectivamente) levantarem-se, não siga o mesmo critério e mostre o cartão amarelo por pretensa simulação.


São factos destes que revelam que este árbrito, e cito um comentador adepto do Sporting (Oliveira e Costa, "Trio de Ataque"): "O Olegário Benquerença é muito mau... é muito mau árbrito!" Reparem bem que estas palavras vêm da boca de um adepto do clube (Sporting) que será sempre o eterno rival do Benfica.

Recuemos agora um dia atrás, nesta 28ª jornada, ao jogo entre Marítimo e FC Porto, cujo árbrito foi Paulo Baptista.

O FC Porto vence com duas grandes penalidades (a primeira aos 14 minutos), a segunda inexistente. Por estranha coincidência, o Marítimo não viu ser assinalada uma grande penalidade por falta cometida por Hulk sobre Héldon (83''):

É visível o braço de Hulk sobre o ombro de Héldon
seguido de um toque na coxa.

Depois, aos 88'', é Djalma que empurra Rafael Miranda e depois lança-se para o chão:

Percebe-se a projecção de Djalma para cima do jogador do Marítimo,
que acabou expulso por acumulação de amarelos.

E assim o FC Porto confirma a vitória por 2-0, com golos de Hulk. Resultado que colocava o clube do Norte a 2 pontos de sagrar-se campeão, podendo festejar o título caso o Benfica empatasse ou perdesse.

Não deixa de ser estranho estranho, no mínimo, que estas coincidências tenham ocorrido na véspera da 29ª jornada que oporá Sporting e Porto e, no qual, ao Sporting interessa a vitória na perspectiva de conseguir alcançar o 3º lugar e, assim, o acesso directo à Liga dos Campeões. Supondo que o tudo ficasse adiado para as duas últimas jornadas, em caso de vitória do Sporting sobre o Porto, e, claro, considerando a eventual vitória do Benfica sobre o Rio Ave e União de Leira, tudo se decidiria na última jornada. O que colocaria grande peso pressão no FC Porto, mesmo tendo vantagem directa em caso de igualdade pontual com o Benfica.
Fonte das fotos: www.google.pt
Enviar um comentário