domingo, 14 de julho de 2013

Cabo Verde perde "A Voz de Ouro"

in abola.pt
O cantor cabo-verdiano Adriano Gonçalves, mais conhecido por Bana, faleceu na madrugada deste Sábado, aos 81 anos, vítima de doença prolongada.


Bana encontrava-se internado no hospital Beatriz Ângelo, em Loures. O Presidente de Cabo Verde reagiu à triste notícia da morte do "rei das mornas", decretando dois dias de luto nacional.

Em maio de 2008, já sofrera um acidente vascular cerebral, mas conseguiu ultrapassar, voltando a tocar e cantar, ainda que com alguma dificuldade.

in abola.pt
Biografia

Bana nasceu em 11 de Março de 1932, no Mindelo, na Ilha de São Vicente, Cabo Verde, dez anos antes da sua conterrânea Cesária Évora, falecida a 17 de Dezembro de 2011.

Ao longo de uma longa carreira de 70 anos, iniciada em 1942, quanto tinha apenas dez anos de idade, gravou mais de meia centena de discos (LP's e EP's). Participou ainda em quatro filmes, dois franceses, um alemão e um luso/cabo-verdiano.

Dono de um timbre vocal raro e forte, desde tenra idade despertou a curiosidade das comunidades locais para o seu canto, despertando para um percurso artístico que deu os primeiros passos com algumas actuações em pequenos circuitos de música de Cabo Verde.

A sua carreira iniciou-se, assim, ao juntar-se a diferentes cantores e instrumentistas da época que tocavam e cantavam essencialmente mornas na rua e em cafés. Um deles ficou particularmente impressionado com a voz de Bana: um dos maiores músicos, poetas e compositores de Cabo Verde, B. Leza, que o apadrinhou e que viria a apresentar Bana, em 1959, numa digressão que a Tuna Académica de Coimbra efectuou na Ilha de São Vicente.

A título de curiosidade, entre os responsáveis pela Tuna figuravam o escritor, romancista e jornalista Fernando Assis Pacheco e o poeta e político Manuel Alegre, que tentaram trazê-lo a Portugal para actuar.

No entanto, seria em Dakar (Senegal) que Bana gravaria o seu primeiro disco e daria os seus primeiros espectáculos. Daqui, seguiu para Paris, onde permaneceu até 1968, gravando mais dois LP's, rumando de seguida à Holanda, onde editou mais dois LP's e seis EP's.

in guedelhudos.blogspot.com
Durante este período actuou a solo e encabeçou o famoso conjunto «Voz de Cabo Verde», cujo mentor foi Luís Morais, virtuoso instrumentista de sopro no saxofones (alto e tenor), clarinete e flauta. O grupo incluía ainda Frank Cavaquinho, Morgadinho (trompete), Jão de Lomba e Tói de Bibia (guitarra).

No ano seguinte, 1969, estreia-se em Portugal, após insistência de vários elementos da Tuna Académica de Coimbra. Foi na inauguração da Casa de Cabo Verde, em Lisboa, na companhia de dois amigos, Luís Morais e Morgadinho.

Depois da sua consagração como cantor, Bana abriu, em 1974, um restaurante-dancing (então apelidada de boite) na capital portuguesa: o Monte Cara, espaço que se tornaria uma rampa de lançamento para jovens valores da música cabo-verdiana.

in radioatlantico.blogspot.com
Homenagem

Enquanto "embaixador" da música cabo-verdiana, por ser pioneiro em levá-la aos quatro cantos da Europa e África, Bana foi reconhecido com várias condecorações e homenagens, quer em Cabo Verde quer no estrangeiro.

Uma das mais comoventes aconteceu em junho de 1992, quando viu encher a sala da Aula Magna, em Lisboa, para celebrar 50 anos de carreira na presença de todas as gerações: Luís Morais, Manuel d'Novas, Celina Pereira, Ildo Lobo, Morgadinho, Manel de Ti Djena, Ana Firmino, Zizi Vaz, Fernanda Queijas, Maria Alice, Titina, Leonel Almeida, Paulino Vieira, Tói Vieira, Armando Tito, Djon, Tito Paris, Vaiss, Nabias, Quim e Nando, todos nomes sonantes, estiveram lá a tocar para o "Rei da Morna".

Em 2012, foi distinguido com o Prémio Carreira, pelo Cabo Verde Music Awards, sucedendo a Cesária Évora, conhecida como a «Rainha da Morna» [Na minha opinião, ninguém se compara a Bana no que toca a mornas e até coladeras!].

O legado de Bana permitiu que outros artistas cabo-verdianos ganhassem projecção e alcançassem ao estrelato, casos de Celina Pereira, Paulino Vieira, Tito Paris, Leonel Almeida, Titina, Zizi Vaz, entre outros.

in nildalau-2007.blogspot.com
Principal Discografia:
  • 1965, Nha Terra
  • 1965, Pensamento e Segredo
  • 1967, Bana à Paris
  • 1969, Rotcha-Nu
  • 1971, Merecimento de Mãe
  • 1974, Contratempo
  • 1976, Cidália
  • 1977, Miss Unidos
  • 1979, Bana - A Voz de Ouro - Mornas
  • 1980, Bana - A Voz de Ouro - Coladeras
  • 1981, Morabeza
  • 1983, Gardénia
  • 1986, Merecimento
  • 1990, Bana - A Voz de Ouro
  • 1992, Solidão
  • 1994, Bana - O Encanto de Cabo Verde
  • 1998, Gira Sol
  • 1999, Livro Infinito
  • 1999, Bana ao vivo no Coliseu
  • 2000, Fado
  • 2003, Dê Dês
  • 2007, Bana e Amigos (CD e DVD)

in tvi24.iol.pt e infopedia.pt
Enviar um comentário