terça-feira, 24 de abril de 2012

O fecho éclair


Localizado no Juming Museum, em Taipei, Taiwan, este incrível fecho é da autoria do escultor Ju Chun.

A 24 de Abril de 1880 nascia o pai de uma das maiores invenções da humanidade: o "fecho éclair". Esta invenção remonta a 1893, quando um engenheiro norte-americano, W. Litcomb Judson, patenteou um sistema de fecho que era feito de ganchos e fendas que se agarravam para abrir e fechar. Ainda era um esboço do que conheceríamos mais tarde como zíper.


No entanto, só mais tarde, em 1913, Gideon Sundbäck, um engenheiro e inventor sueco que emigrou para os Estados Unidos, desenvolveu este conceito e produziu um fecho semelhante, usando no lugar dos ganchos pontiagudos "dentes" de metal. Hoje também encontramos dentes em plástico.

Basicamente, o seu funcionamento consegue-se deslizando uma peça que, consoante o sentido, encaixa ou desencaixa os dentes. Esta peça possui dois canais pelos quais passa cada cadarço, que se une ou separa no seu interior permitindo abrir ou fechar o mesmo.

O fecho-de-correr é feito de dois cadarços com dentes metálicos, que se encaixam por ação de um cursor. Pode ser aplicado nos mais diversos materiais, tal como roupas (vestidos, calças, blusões, casacos), objectos em couro (carteiras, porta-moedas, malas), calçado, colares, etc.

 

Em Portugal adoptou-se a expressão "fecho éclair", do francês fermeture éclair, que se refere ao nome da sociedade detentora do registo da marca, Éclair Prestil SN. Essa expressão foi utilizada durante muitos anos, pelo facto do "fecho éclair" ser uma marca mundialmente conhecida desde sua fundação em 1946.

No início, esse tipo de fecho era usado para pequenas bolsas para tabaco e dinheiro. Em 1917, a marinha americana começou a fabricar casacos que usavam o fecho à frente. Desde então tem vindo a ser alargado o leque de utilizaçao do fecho éclair.
Enviar um comentário