quinta-feira, 14 de junho de 2012

Acredita, Portugal!


Portugal conquistou esta Quarta-feira a sua primeira vitória no Euro, diante da Dinamarca por 3-2, fazendo renascer a esperança da qualificação para os quartos-de-final. Só a vitória interessava e foi isso mesmo que a selecção conseguiu, mas a muito custo...


Portugal abriu o activo por intermédio de Pepe (1-0) com um golo de cabeça após uma bola parada. Seguiu-se o golo de Hélder Postiga (2-0). Quando se esperava que o resultado pudesse estar definido, um erro defensivo (novamente) permitiu à Dinamarca reduzir para 2-1. E foi sofrer até ao final da 1ª parte.

No segundo tempo, Portugal criou inúmeras oportunidades para dilatar a vantagem, mas acabaria por ser a Dinamarca, já com Nelson Oliveira em campo, a fazer a igualdade. Uma vez mais, num ataque pela direita com um cruzamento para o segundo poste, onde Bendtner aproveitou para bisar na partida.

De referir os bons movimentos de Nelson Oliveira que, apesar da inexperiência e mesmo sem convencer (isto é, sem marcar golos), pode vir a ser bastante útil, uma vez que é possante, veloz e tem um bom remate. Quem sabe se não deveria jogar de início frente à Holanda...

Momentos antes do empate, Cristiano Ronaldo desperdiçava duas grandes oportunidades: a mais flagrante, primeira completamente isolado, já dentro da grande área, apenas com o guardião dinamarquês pela frente, em que não fez melhor do que nem sequer acertar na baliza, atirando ao lado.

Mais um exemplo de um jogador, para muitos o melhor do mundo... Não deixa de ser estranho que aquele que deveria ser um dos jogadores mais decisivos continue sem marcar em fases finais (excepção para o golo marcado no último mundial à Coreia do Norte). Por isso crescem as críticas à volta de CR7 e as comparações a Messi, as quais colocam em evidência o génio deste último, tanto a nível de finalização como da criação de desequilíbrios e assistências para golo na respectiva selecção.

Felizmente, seria Silvestre Varela, que rendeu Raul Meireles, a dar a vitória para Portugal (3-2), reacendendo a esperança no apuramento de Portugal para os quartos-de-final. Não foi à primeira (pois chutou no ar com o pé esquerdo), mais sim à segunda, com um remate indefensável, "pelo buraco da agulha".


No segundo jogo do grupo, a Alemanha venceu a Holanda por 2-1 e assumiu a liderança do grupo. Em aberto fica a definição de quem passa à fase seguinte. Matematicamente, ainda é possível à Holanda o apuramento, caso vença a Portugal e a Dinamarca perca. Assim, igualaria em pontos com Portugal e a Dinamarca, ficando a depender do goal average. A Portugal bastará o empate se a Dinamarca perder com a Alemanha e vice-versa. À Alemanha basta o empate. Lá teremos de aguardar ansiosamente pelo próximo Domingo para saber qual o desfecho deste grupo.
Enviar um comentário