sexta-feira, 1 de junho de 2012

A nova ditadura do futebol português

in anti-benfica.com

"(...) Ao longo das décadas de 80 e 90, o FC Porto foi mais forte em muitos jogos, mas em muitos jogos foi escandalosamente beneficiado pelas arbitragens.


"Durante muitos anos, Pinto da Costa e os seus prosélitos trabalharam para instalar um clima de medo e coacção no futebol português. À conta dessa coacção, se vivêssemos num país menos tolerante em relação à impunidade, os adeptos do FC Porto não teriam construído a imagem do presidente-herói, porque o clube, nesse enquadramento e com a paliação dos regulamentos vigentes, já teria sido despromovido (...)."

Rui Santos, in jornal Record (31-05-2012)

in menmedia.co.uk

Oito anos depois, após uma entrevista de Luís Filipe Scolari, em que entre outras coisas, denunciou a existência de pressões de Pinto da Costa, culminando, por exemplo, na não convocação de Vítor Baía, então guarda-redes do FC Porto. Em causa estaria a convocatória de jogadores do FC Porto para um encontro amigável da selecção nacional na véspera de uma meia-final dos azuis-e-branco para a Liga Europa (antiga Taça UEFA).

Depressa surgiram artigos de opinião em protecção de Pinto da Costa. No entanto, eis que Gilberto Madaíl, ex-presidente da FPF confirma, precisamente, a existência de pelo menos um contacto por membros ligados ao FC Porto, não especificando nomes. Mas alegando ao facto da distância temporal de tais ocorrências (oito anos), Gilberto Madaíl preferiu apelar ao esquecimento deste caso.

Para mim, está tudo dito: até aqui se vê a extensão dos tentáculos do futebol português...
Enviar um comentário